terça-feira, 1 de maio de 2007

Viva o 1º de Maio Vermelho. Viva a Greve Geral!


Viva o 1º de Maio! Tal como há mais de cem anos em Chicago, os trabalhadores devem erguer a bandeira vermelha da redução do horário de trabalho, no passado pelas 8 horas diárias, hoje devemos exigir as 35 semanais. O progresso das condições de vida dos trabalhadores tem sido pouco, relativamente ao tempo e ao avanço tecnológico. Ainda mais grave é a distribuição social da riqueza produzida. Cada vez mais é exigido aos trabalhadores conhecimentos técnicos que não são correspondidos nos salários precários. Os compradores de trabalho não querem seres humanos livres, preferem ao contrário, escravos.
Que devemos fazer? queixar-nos que a burguesia inimiga é forte, fazem a lei, têm os meios de repressão e são os donos das empresas? Ou avançamos porque se faz tarde?
Em Portugal o atraso ainda é maior, comparando com os demais parceiros da União Europeia. O Governo Sócrates/Cavaco é fantoche nas mãos de Bruxelas. O Banco de Portugal nas mãos do BCE. Ambos os são às mãos do grande capital. É a sociedade capitalista. Com o argumento do défice exigem cada vez mais sacrifícios aos trabalhadores para satisfação das suas necessidades básicas (transportes, energia, saúde, alimentos e educação para os próprios e para seus filhos), que menos recebem pelos seus salários, que trabalhem até mais tarde (no dia e na vida), que paguem mais impostos, que se endividem ou emigrem se ficarem desempregados, que morram pelo caminho de ficarem doentes ou tiverem um acidente. É esse o papel do Governo e do Banco de Portugal, é para isso que os seus membros têm ordenados principescos, para imporem aos trabalhadores as ordens dos capitalistas, tudo sem “rupturas sociais”.
Não tenhamos ilusões numa eventual mudança de política deste governo, Sócrates/Cavaco, tem de ser derrubado e derrubado pelos trabalhadores. São os trabalhadores que devem dirigir os destinos do país segundo os seus interesses comuns, que são os interesses que servem a esmagadora maioria. E mudar este governo, para ir para lá outro igual do PSD ou do CDS, não tem nenhum interesse, pois já lá tiveram e aplicaram a mesma política.
São estas as razões porque neste 1º de Maio vamos juntar às reivindicações que unem os trabalhadores portugueses aos trabalhadores de todo o mundo, o apelo à Greve Geral que derrube o governo.

PELA SEMANA DAS 35 HORAS!
SALÁRIO IGUAL PARA TRABALHO IGUAL!
REVOGAÇÃO DO ACTUAL CÓDIGO DO TRABALHO!
GREVE GERAL PELO DERRUBE DO GOVERNO!

O POVO VENCERÁ!

Estás aí?



Está no tempo de agarrar a bagagem.
Há sempre, só, uma mala para a viagem.

Já vejo o rio à esquerda, largo,
É um mar, perfuma o sal.

O andamento já é lento
e foi tão rápido.
Está quase a parar.
Oiço e sinto o metal das rodas
nos trilhos, de aço.

Parou, é o fim.
Adeus...

Olá...
Estás aí?


Emanuel Nisa

O fim da história


Nasce-se, morre-se e nascem. Ou talvez a transformação seja permanente, afinal acabamos por ficar cá, aqui no planeta, pelo menos nesta dimensão.
Quando nasceu o Blogue "Escrita Acordadora", o espírito era a discussão, trocar ideias, mostrar a criatividade dos nossos amigos. Já não restava mais ninguém, aquele não tinha mais sentido, morreu... Teve o seu espaço físico e temporal, não sabemos mais dele, desapareceu, não sabemos para onde, mas estará algures no servidor, no infinito, estará com certeza absoluta. Paz à sua memória.
Agradeço de mãos postas e cabeça caída, curvando-me, numa vénia imensa a todos que participaram naquele espaço, filho de tantos amores, de tanta ternura e sofrimento, é assim; a intensidade que damos à vida, foi assim a dinâmica que empregámos às palavras, instrumentos sagrados, espelhos mais ou menos mentirosos dos sentidos e da alma.

E agora?

Nasce neste primeiro de Maio, mais este filho, também sagrado, também genuíno, certamente sofrido como serão as paixões intensas. Quando virmos oportuno convidaremos amigos para a discussão, para que a luz seja mais forte e tenha portanto ainda mais calor, pretendemos.

Uma vénia profunda de imenso reconhecimento.

antoniomaia